A vocação para Avivar

Domingo, 06 de Outubro de 2013

Homens solitários, marginalizados, insignificantes

Você pode perguntar-me quais são os atributos, características ou perfis dos homens escolhidos por Deus para transformarem a sua região por uma poderosa visitação do seu Espírito Santo.

Ou por outro lado, você também pode desejar ardentemente manifestar a sua Glória, mas necessita moldar-se ao padrão estabelecido por Deus. Portanto, necessita conhecer este padrão.

Ao analisarmos a palavra de Deus, o Espírito Santo me mostrou que há pessoas vocacionadas para esta missão. Não importa quantos os invejem, os critiquem ou os difamem. Ele é soberano, e usa quem quer!

Poderíamos citar os avivadores mais comentados, estudados e que impactaram a igreja no Séc XX: Evan Roberts e William Seymour. Eles foram chamados por Deus para romper os céus e liberar um poderoso avivamento. As influências de suas biografias ultrapassaram os limites territoriais de suas nações e as barreiras temporais. Ainda hoje, mais de 100 anos depois do derramar do Espírito em suas vidas, seus testemunhos motivam nossos corações para buscar mais da presença de Deus.


Evan Roberts nasceu no dia 8 de junho de 1878 em Loughor, País de Gales, filho de Henry e Hannah Roberts. Criado em uma formaçãometodista/calvinista em casa, ele era uma criança séria, que frequentava a igreja regularmente e, quando tinha apenas 11 anos, seu pai sofreu um sério acidente e Evan precisou deixar a escola para ajudá-lo no difícil trabalho na mina de carvão. Quando voltava dessa estafante tarefa, ele tirava um tempo para ler a bíblia e, graças à sua facilidade inata, memorizava as passagens bíblicas. Ele nunca era visto sem a sua Bíblia, fiel companheira de todas as horas. Trabalhava duro na mina, e ao fim do expediente, voltava para casa. Daí caminhava mais dois quilômetros para orar em uma capela, chamada Moriá. Aos treze anos de idade teve o seu primeiro encontro com Deus.


William Joseph Seymour nasceu em 02 de maio de 1870, em Centerville, Santa Maria de Paris, no Estado da Louisiana - USA. Seus pais, Simon Seymour e Phillis Salabar tinham nascido escravos. Ele converteu-se ao cristianismo numa Igreja Batista durante sua adolescência. Em 1895, com 25 anos, mudou-se para Indianápolis onde inicialmente exercia a função de garçom.

Estes foram os currículos dos maiores avivadores do século passado. O que tinham em comum? Se enquadraram no perfil vocacional dos homens chamados ou escolhidos por Deus para manifestar sua Glória.


A vocação dos santos

1 Coríntios 1:

26 Porque, vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados.
27 Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes;
28 E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são;
29 Para que nenhuma carne se glorie perante ele.

Notem, amados irmãos, que Deus procura por homens loucos, fracos, vis, ordinários, insignificantes, desprezíveis, QUE NÃO SÃO, para revelar a Sua Glória. O quanto poderíamos falar aqui da trajetória de vida, por este prisma, de homens tais como: Moisés, José do Egito, Davi, João Batista e até mesmo Jesus, entre outros heróis da fé. Por isso, a Bíblia foi escrita relatando a história de "uns certos homens (de quem o mundo não era digno) errantes nos desertos, nos montes, nas covas e nas cavernas da terra..." (Hebreus 11:38 TB10). Não poderia, portanto, ter relatado a biografia de outros homens, que fossem ilustres e nobres.


O chamado de Abraão

Quando fui chamado para começar o nosso ministério na viagem que fiz em setembro de 2011 à Argentina, o Espírito Santo me apresentou a história de Abraão, como a minha, pois eu estava solitário e incapaz de iniciar tão grande chamado. Ora, o pai da fé e do povo de Deus também se enquadrou neste perfil.

Isaías 51:

1 OUVI-ME, vós os que seguis a justiça, os que buscais ao Senhor. Olhai para a rocha de onde fostes cortados, e para a caverna do poço de onde fostes cavados.
2 Olhai para Abraão, vosso pai, e para Sara, que vos deu à luz; porque, sendo ele só, o chamei, e o abençoei e o multipliquei.
3 Porque o Senhor consolará a Sião; consolará a todos os seus lugares assolados, e fará o seu deserto como o Éden, e a sua solidão como o jardim do Senhor; gozo e alegria se achará nela, ação de graças, e voz de melodia.

O Senhor primeiramente nos chama atenção no início deste texto, ao dizer: Ouvi-me vós!
Para quem interessa este chamado ou convocação ?

1) Para os seguidores da justiça; (Mt 5:6 Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça);
2) Os buscadores de sua presença; (Jr 29:13 E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração).


Depois observe a situação inicial de Abraão. Ele estava SÓ, porém tornou-se AMIGO DE DEUS - Is 41:8b. Esta foi a condição que Deus determinou para escolher Abraão. E na ordem o Senhor,

1) O chamou;
2) O abençoou;
3) E o multiplicou.

E de fato, o Senhor prometeu:

ORA o Senhor disse a Abrão: Sai-te da tua terra, e da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção. (Génesis 12:1, 2 ARC).

E cumpriu:

Os filhos de Israel frutificaram, e aumentaram muito, e multiplicaram-se, e foram fortalecidos grandemente; de maneira que a terra se encheu deles. (Êxodo 1:7 ARC)

O maior avivador da história, Jesus Cristo, também iniciou seu ministério sozinho. Não teve nobre nascimento, pelo contrário. Em meio a grande necessidade nasce num curral e talvez seu berço fora um cocho revestido de palha (para aqueles que não conhecem a lida dos animais, o cocho é um recipiente onde se põe água ou comida para o gado). Além disso, Jesus era filho de um casal humilde, onde o seu pai era um artesão, e ao nascer em Belém era tratado com desprezo por ser uma região pobre da nação.

Se você for chamado só, e esteja a passar necessidades, privações e até desprezo, considere-se um privilegiado e candidato a ser um avivador.


As recompensas deste chamado

As promessas de bênçãos reservadas para os famintos e buscadores da presença de Deus, que transformam suas vidas por um chamado arrebatador e contagiante, serão:

1) Chamados para uma grande obra de restauração;
2) Eles serão fartos de justiça; Mt 5:6b, Is 51:4-5
3) Encontrarão ao Senhor; Jr 29:14
4) Terão suas sortes mudadas, serão abençoados;
5) Serão catalisadores de bênçãos e por isso ajuntarão multidões na fase;
5) Serão catalisadores de bênçãos e por isso ajuntarão multidões na fase da multiplicação;
6) O Senhor os levantarão para consolar a Sião, o povo de Deus;
7) Também consolarão a todos os lugares assolados, e restaurarão as localidades pela transformação de suas condições espirituais. Onde outrora havia a maldição , haverá benção e paz.

Portanto, "CONSOLAI, consolai o meu povo, diz o vosso Deus. Falai benignamente a Jerusalém, e bradai-lhe que já a sua malícia é acabada, que a sua iniquidade está expiada e que já recebeu em dobro da mão do Senhor, por todos os seus pecados. Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor: endireitai, no ermo, vereda a nosso Deus. Todo o vale será exaltado, e todo o monte e todo o outeiro serão abatidos: e o que está torcido se endireitará, e o que é áspero se aplainará. E a glória do Senhor se manifestará, e toda a carne juntamente verá que foi a boca do Senhor que isto disse."(Isaías 40:1-5 ARC)


O grande equívoco do coração

Somos naturalmente atraídos pelas recompensas e benefícios. Quando o tema do avivamento é tratado quase todos os líderes são despertados pelo sucesso ministerial e a popularidade que fenômenos espirituais como estes proporcionam. Na verdade é maravilhoso ver, pessoalmente, as multidões sedentas atraídas pela presença de Deus e completamente envolvidas numa atmosfera impregnada de unção. Os olhos brilham de todos os pastores ao testemunharem a descoberta daquilo que tanto desejam viver. Afinal, romper as limitações e as enormes dificuldades que impedem o crescimento do rebanho da igreja é um forte indício de sucesso e certeza do reconhecimento humano, aceitação, popularidade. Este é o grande equívoco do coração humano, ser movido pelas recompensas e não pelos princípios que nos sacam da inércia e do vazio existencial e nos leva a realizar grandes feitos. Creio que este seja o principal obstáculo que enfrentamos para sermos usados por Deus na plenitude do propósito e no maior raio de alcance. Como o Senhor pode confiar tanto poder a uma pessoa com sementes corruptas em seu caráter?

Muitos estão perdendo a humildade, a simplicidade e o coração quebrantado presentes no início dos seus chamados que lhes agraciou com a dádiva divina de tão nobre desafio espiritual, liberar um visitação do Espírito Santo que transforme localidades, repercuta na nação e ecoe na história. Muitos são os exemplos dos bons começos com finais melancólicos, Muitos líderes estão deixando-se seduzir pelo sucesso, tornando-se vaidosos, arrogantes, presunçosos, ambiciosos, carnais. Tal inclinação é a causa porque tão poucos homens vocacionados em suas gerações terem exercido em sua plenitude o seu potencial. Talvez, você diga agora: " eu não sou assim, as minhas aspirações são puras, desejo apenas a presença de Deus e impactar a minha cidade ou país..."

A avaliação pessoal do Senhor é mais profunda que possamos imaginar. O Senhor não considera as aparências externas, que notamos pela avaliação racional. "O Senhor não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas o Senhor vê o coração”. (1 Samuel 16:7b NVI)

O que pensa o Senhor sobre isto?

"O coração (do homem) é mais enganoso que qualquer outra coisa e sua doença é incurável. Quem é capaz de compreendê-lo? Eu sou o Senhor que sonda o coração e examina a mente, para recompensar a cada um de acordo com a sua conduta, de acordo com as suas obras.” (Jeremias 17:9, 10 NVI)

Porém, no Reino de Deus os princípios, valores e motivos são opostos aos apreciados no mundo. Valores tais como reconhecimento, fama, vaidade, orgulho, luxúria, são obstáculos para a liberação da presença de Deus. Notem os pontos chaves que Jesus falou aos fariseus acerca deste assunto em Lucas 16: 13-15:

1) Nenhum servo pode servir a dois senhores; porque, ou há de odiar um e amar o outro, ou se há de chegar a um e desprezar o outro;
2) Não podeis servir a Deus e as riquezas;
3) Vós sois os que vos justificais a vós mesmos diante dos homens;
4) Deus conhece os vossos corações;
5) O que entre os homens é elevado, perante Deus é abominação.

Aquela classe sacerdotal política, demagógica, ambiciosa, não pôde ser usada por Deus pois os seus corações estavam contaminados com valores e motivos carnais. Deus conhecia os seus corações avarentos, irreverentes, e sedentos por fama e reconhecimento humano. Não puderam ser usados em suas gerações para liberar o maior avivamento da igreja. Posteriormente, o Espírito Santo chamou e revestiu de poder do alto homens despreparados, incultos, iletrados, At 4:13, para continuarem o ministério de Jesus.

As pessoas chamadas para exercerem tão sublime ministério não poderiam serem outras. O Senhor diz "que olha para o pobre e abatido de espírito, e que treme da sua palavra", Is 66:2b. Ele resiste ao soberbo e dá graça ao humilde , Tg4:6.

Por isso, necessitamos ser tratados no deserto, para sermos curados destes comportamentos carnais. Romanos 8:8 nos alerta que aqueles que estão na carne não podem agradar a Deus. Ora, se Jesus fôra ao deserto para se preparar para o seu chamado, como podemos querer buscar uma formação sacerdotal com honras e méritos?

O deserto não é apenas um lugar seco, árido e quente. Deserto é a Escola do Espírito Santo para esvaziar o homem carnal, afim de levá-lo à sua completa e total rendição ao Senhor para que possa experimentar qual a boa, agradável e perfeita vontade de Deus, Rm 12:2. Queres ser usado por Deus poderosamente? Então prepare-se para ser rejeitado, esquecido, desprezado, passar por humilhações e necessidades. Podes até ser motivo de escândalo dadas as circunstâncias extremas que poderás passar. Talvez penses que a sua justiça própria e dignidade possam te levar a ser usado por Deus, mas não foi bem assim com os os homens usados por Deus para grandes obras. O quê dizermos de Moisés? Um homem que ao querer fazer justiça com suas próprias mãos tornou-se um homicida, traidor e desertor de seu país. Fugiu para não cumprir pena de morte. Viveu quarenta anos no deserto, literalmente, para que ao esvaziar-se de todo conhecimento e preparação humana pudesse ter seu encontro com Deus e reconhecer que era incapaz de tão grande chamado.

Queres viver um avivamento? Então terás que ser tratado profundamente por Deus, pois a sua Glória, Ele não a dá a ninguém!

Testemunho completo do avivamento dos Prs Cordeiro

Canal Pastor Nelson Cordeiro
Música Destaque

Rio de Fogo
Ministério de Adoração do Avivamento


Um rio de fogo está fluindo
De Tua presença está vindo
Minha alma está ardendo
Por Tua glória meu SENHOR

Minha alma está sedenta
Meu espírito faminto
Minha carne anela
Tua glória e Tua unção

Há uma chama
Em mim ardendo
Paixão por Tua presença
Que não se acabe este momento
Debaixo da Glória do meu DEUS

Meu coração por Ti batendo
Teu fogo está vindo
Minha alma por Ti clama
É tua glória meu SENHOR

Há uma chama
Em mim ardendo
Paixão por Tua presença
Que não se acabe este momento
Debaixo da Glória do meu DEUS

Doações

SITE MAP



Home
Nossa História
Agenda de Eventos
Cultos
Álbuns de Fotos
Videos
Entre em Contato

SIGA NOS



Facebook
Youtube

VISITE TAMBÉM



Centro Mundial de Avivamento
Pastores Ortega

VISITE NOS